Abordando um tema bastante delicado e pouco explorado, a série ‘Aruanas’ da TV Globo vem conquistando, cada vez mais, o público e as críticas. Disponível no Globoplay e no ar às terças-feiras na emissora, a trama conta a história de quatro integrantes de uma ONG que exploram o desmatamento ilegal na Amazônia.

Do outro lado está Camila Pitanga e seu sócio, donos de uma mineradora. Em conversa com o jornal ‘O Dia’, a atriz fez críticas a sua personagem: “Estamos falando de uma luta onde de um lado não há ética. Nesse jogo, em que se disputa a sobrevivência do planeta, de um lado estão esses míopes, como a Olga e o Miguel, e do outro lado as aruanas, que estão lutando pela vida”, disse.

Ela avalia que a série faz o público abrir o olho para uma situação que é tão triste, mas ao mesmo tempo tão abafada: “Acho que é muito importante a gente compreender que quem sofre dessa miopia que não dá valor ao patrimônio de humanidade que a Amazônia representa. É a miopia que mata, que aniquila e que se mata. São personagens que não se veem dentro da condição humana. Uma luta burra de quem defende o capital a qualquer custo e não se vê dentro do próprio sistema”, comenta a atriz que classifica isso como: “falência de parte da nossa humanidade”.

Apesar disso, a atriz garante que ainda não perdeu a esperança de que tudo isso irá melhorar: “A gente não pode abrir mão de acreditar no melhor do humano, na capacidade de se iluminar, de se recuperar. Acho que ‘Aruanas’ abre espaço para iluminar na sociedade”, disse Camila Pitanga.